Carbono azul: o que é e sua importância

Você, que lê e pesquisa sobre sustentabilidade, pode já ter ouvido falar no termo carbono azul, ou blue carbon, em inglês. Carbono azul é aquele armazenado nos ecossistemas costeiros e marinhos durante o processo de fotossíntese.

Mas você sabe qual o seu papel e importância? Confira agora!

Ecossistemas costeiros e marinhos

Primeiro, é preciso compreender o papel fundamental dos ecossistemas costeiros e marinhos, como os manguezais, os pântanos e os mares, para a coleta do que conhecemos como carbono azul. Entre suas múltiplas contribuições para o planeta, está o fato de que eles abrigam uma grande variedade de seres vivos e protegem a costa de deslizamentos e outros impactos ambientais

Além disso, esses ecossistemas capturam o carbono presente na atmosfera, servindo como importantes aliados no combate ao aquecimento global. 

Seus benefícios para o meio ambiente e para a sociedade, como o carbono azul, são chamados de “serviços ecossistêmicos”. Segundo o ICMBio, eles podem ser divididos em quatro categorias:

  • Serviços de regulação;
  • Serviços de suporte;
  • Serviços de abastecimento;
  • Serviços culturais.

As categorias acima abrangem características específicas, como amenizar o clima global, a repovoação dos mares, o fornecimento de alimentos para a população e o turismo.

Os serviços de regulação

A regulação, ou seja, a capacidade de influenciar todo o equilíbrio climático do planeta, é considerada uma das mais importantes contribuições desses ecossistemas – e é nessa categoria na qual o carbono azul se encaixa. 

Como alerta o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), muito se fala sobre a redução das emissões de carbono, mas o papel dos oceanos tem sido frequentemente ignorado.
A importância do carbono azul e de sua preservação não devem ser deixadas à margem: de todo o carbono capturado no mundo, 55% é capturado por organismos marinhos, também de acordo com o "PNUMA".

Mitigação das mudanças climáticas: desafios

Ainda que esses ecossistemas marinhos sejam fundamentais para a preservação do meio ambiente, sua taxa de perda é maior do que a de qualquer outro ecossistema. Segundo a pesquisa “Blue Carbon: the role of healthy oceans in binding carbon”, até 7% dos sumidouros de carbono azul são perdidos por ano, em função da ação humana.

Ou seja, o reconhecimento da importância dos manguezais, pântanos, mares, entre outros ecossistemas, é necessário para a mitigação das mudanças climáticas. Afinal, sua capacidade de absorver e enterrar o CO2, um dos gases causadores do efeito estufa, é muito promissora.

A Iniciativa do Carbono Azul

Para se aprofundar ainda mais sobre o assunto, conheça The Blue Carbon Initiative (Iniciativa do Carbono Azul), uma organização global que trabalha para a manutenção e a restauração dos ecossistemas costeiros e marinhos.

Ainda está em dúvida sobre como você pode contribuir para o combate ao aquecimento global? A partir de suas escolhas diárias, você pode ser um agente de mudança. 

O consumo sustentável de produtos e serviços já é uma opção para aqueles que desejam diminuir o seu impacto no meio ambiente. Clique aqui e saiba como receber energia limpa, sustentável e econômica na sua residência ou negócio.
Se você gostou deste texto, confira a seção Consumo Consciente no nosso blog.

  • 2018

  • 2021

  • A nova bandeira tarifária: escassez hídrica

  • Agenda 2030

  • alternativa

  • ambiente escolar

  • aquecimento global

  • aquecimento solar

  • aspectos tecnológicos

  • assinatura de energia

Assinando com a Órigo você pode economizar até:

15% de economia mensal de energia limpa e renovável 15% de economia mensal de energia limpa e renovável

de economia mensal com energia limpa e renovável

Assine nossa
newsletter