sustentabilidade

O que significa sustentabilidade?

A sustentabilidade é uma maneira de suprir as necessidades do presente sem prejudicar as gerações futuras. Um conceito que envolve práticas mais conscientes, ecológicas e econômicas. 

A busca por práticas sustentáveis tem crescido bastante e o debate em torno desse tema está cada vez mais popular. A sustentabilidade é um conjunto de práticas ecologicamente corretas, socialmente justas e economicamente viáveis. Está relacionada diretamente ao desenvolvimento sustentável, incentivando hábitos mais conscientes e preservando os recursos naturais do planeta.

A origem do termo “sustentabilidade” e “desenvolvimento sustentável”

A palavra sustentabilidade foi abordada inicialmente na Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano, em 1972 - a primeira convenção com foco nas mudanças climáticas, realizada em Estocolmo. Já o desenvolvimento sustentável foi citado pela primeira vez em um livro chamado “Nosso Futuro Comum”, publicado em 1987, que descreve o termo como um conceito para "suprir as necessidades do presente sem afetar a habilidade das gerações futuras de suprirem as próprias necessidades”.

Quando pensamos na temática, é natural associá-la logo ao planeta, mas ser sustentável não significa somente ser menos danoso ao meio ambiente. O processo envolve entender o impacto das nossas ações, indústrias e produtos, e agir para diminuir as consequências causadas pelo homem. É fomentar um uso consciente dos recursos que temos disponíveis e usar a tecnologia a favor da minimização de danos.

O tripé da sustentabilidade

A sustentabilidade tem como base três pilares: ambiental, social e econômico. A junção e o equilíbrio deles devem ser fluidos e integrados nas mais diversas atividades cotidianas da sociedade, estratégias de empresas e políticas governamentais. 

Ou seja, a preocupação, assim como o desenvolvimento, desses três âmbitos precisam estar interligados. Por exemplo, um hábito que é ecologicamente correto, também pode interferir em aspectos sociais, assim como pensar na economia também possui relação com o meio ambiente e vice-versa.

Ambiental 

Ser ecologicamente correto significa adotar um processo produtivo limpo e apropriado, sempre utilizando e reaproveitando os recursos naturais necessários para uma produção o mais consciente possível. Pensar no equilíbrio do planeta, na biodiversidade e incentivar práticas ecologicamente corretas também é importante.

Além das atividades, esse é um pilar que preza pela educação e consciência ambiental. Por isso, mais do que fazer uma imersão no assunto, entendendo sobre assuntos que envolvem o planeta, como o desmatamento e as mudanças climáticas, também é importante passar essas informações adiante. 

Social 

Ser socialmente justo envolve valores, ética e responsabilidade. Não há como ser sustentável sem pensar na sociedade. O desenvolvimento socioambiental também deve fazer parte das estratégias e das atividades de preservação ao planeta.

Proporcionar condições favoráveis de vida à população, reduzir a desigualdade, fomentar educação de qualidade, saúde e bem-estar, são alguns dos atributos inseridos nesse pilar. A sustentabilidade beneficia a vida, e cuidar para que todos os seres vivos sejam respeitados e valorizados faz parte dessa missão. 

Econômico

Ser economicamente viável é buscar vias para crescer financeiramente sem agredir o meio ambiente. Por exemplo, se uma empresa utilizar a reciclagem para promover o desenvolvimento sustentável, mas o gasto para reciclar determinado material for maior que o gasto para extraí-lo, essa opção torna-se inviável economicamente.

As condições de trabalho também são fatores fundamentais quando o assunto é sustentabilidade. "Promover o crescimento econômico inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho digno para todos" é uma das metas de desenvolvimento sustentável.

A importância da sustentabilidade

Ter uma vida mais sustentável resulta em diversos benefícios para a sociedade e para o ecossistema todo. Para sermos de fato sustentáveis, é preciso fazer uma reflexão sobre como podemos usar o mínimo possível e, ainda assim, proporcionar qualidade de vida. São atitudes que não impactam no nosso desenvolvimento, mas fazem a diferença no consumo dos recursos naturais.

A sustentabilidade também é uma maneira de reduzir o efeito estufa e mitigar as mudanças climáticas. O Brasil é um dos países onde a sustentabilidade está cada vez mais valorizada. Segundo a pesquisa Vida Saudável e Sustentável 2021, "86% dos brasileiros desejam reduzir seu impacto individual sobre o meio ambiente e a natureza, contra 73% da média mundial". 

Desde a revolução industrial, a temperatura do planeta vem aumentando aceleradamente por conta do consumo humano. E, nessas circunstâncias, o clima pode ficar ainda mais quente e chegar a um aumento de até 5° no final do século. Com o uso dos combustíveis fósseis, uma das principais causas do efeito estufa, a problemática se intensifica ainda mais. 

A perda da biodiversidade, a poluição das águas e a desigualdade social são outros impactos que podem ser evitados ou reduzidos com o avanço da sustentabilidade. A população mais vulnerável é a mais atingida por uma estrutura não sustentável. Mais de 40% da população mundial vive com escassez de água. Segundo a Organização Mundial da Saúde, para uma pessoa viver com dignidade são necessários 110 litros de água por dia. Na África, a média de consumo é de 10 a 15 litros por dia, enquanto em alguns países o desperdício é tanto que se chega a usar 600 litros por dia. 

Exemplos de práticas sustentáveis

Além de colaborar com o planeta, a sustentabilidade pode gerar fonte de renda e desenvolvimento de tecnologias sustentáveis. Veja alguns exemplos de práticas sustentáveis abaixo.

Gerenciamento adequado de resíduos e reciclagem

Ter um bom gerenciamento de resíduos em uma cidade, empresa ou casa, é uma das práticas mais básicas de sustentabilidade, mas que pode gerar inúmeros benefícios e fomentar a cadeia de reciclagem e consumo consciente. É rentável financeiramente, gera empregos, respeita as pessoas e preserva o meio ambiente.

Reaproveitamento da água da chuva

A crise hídrica que estamos vivendo em 2021, com a pior situação dos reservatórios em 91 anos, é um dos exemplos de quanto uma boa administração e preservação dos recursos hídricos é fundamental para que não falte água.

Além de exercer um consumo consciente e evitar desperdícios, também é possível pensar em como reaproveitar. Neste sentido, investir em sistemas de coleta de água da chuva pode ajudar a economizar milhares de litros.

Consumo de alimentos orgânicos

Consumir orgânicos, mesmo que ocasionalmente, também é uma maneira de ser mais sustentável. Um ótimo exemplo disso é a agricultura familiar, que preza por práticas ecologicamente corretas, e privilegia e dá oportunidade de crescimento a pequenos agricultores que não têm condições de competir com as grandes empresas do ramo.

Uso de energia renovável

Hoje o mercado de energia renovável está em expansão no Brasil, proporcionando empregos, independência energética e economia para muitas famílias. A energia solar é um ótimo exemplo. Além de ser uma fonte limpa e inesgotável, essa modalidade de geração energética não produz resíduos e diminui os impactos ambientais. Uma atitude sustentável e de impacto social.

  • 2018

  • 2021

  • A nova bandeira tarifária: escassez hídrica

  • Agenda 2030

  • alternativa

  • ambiente escolar

  • aquecimento global

  • aquecimento solar

  • aspectos tecnológicos

  • assinatura de energia

Assinando com a Órigo você pode economizar até:

15% de economia mensal de energia limpa e renovável 15% de economia mensal de energia limpa e renovável

de economia mensal com energia limpa e renovável

Assine nossa
newsletter