Energia solar residencial: vale a pena?

Na última década, os olhares do mercado e das pessoas se voltaram para as fontes energéticas sustentáveis, em especial a fotovoltaica

Os painéis fotovoltaicos, como os que fazem parte das Fazendas Solares da Órigo, utilizam placas que captam e convertem a luz do sol em energia térmica e em energia elétrica.

A fonte de energia solar está fazendo parte dos planos de cada vez mais brasileiros, mas o que realmente é necessário para decidir quando e como fazer esse investimento? A energia solar vale a pena para a sua residência?

O que é a energia solar residencial?

A energia solar residencial utiliza placas solares de maneira independente. É realizado um projeto que analisa quantas placas conseguem abastecer a residência, em que posições devem ficar e o que será necessário para a instalação. 

No Brasil, segundo a ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), atualmente, cerca de 44% da potência instalada de energia distribuída é consumida pelo setor residencial, à frente dos 33% do setor de comercial/serviços e dos 13% no setor rural

Geração distribuída e geração centralizada

Ao se falar de energia solar, é possível identificar dois tipos de aplicações possíveis: geração distribuída e geração centralizada. Na geração centralizada existe uma grande fonte geradora, como termelétricas e hidrelétricas, em que existem linhas de transmissão e distribuição que levam a energia até o consumidor. Na geração distribuída são estabelecidas pequenas fontes de geração próximas ao consumidor, dispensando os altos custos com linhas de transmissão.

Ainda de acordo com a ABSOLAR, em geração distribuída, há mais de 600 mil residências que usufruem do sistema fotovoltaico residencial, quase seis vezes mais que o número de estabelecimentos comerciais utilizando esse tipo de sistema. Além disso, em 2022, o Brasil alcançou a marca de 13 GW de capacidade de energia solar fotovoltaica.

Quanto custa a instalação de painéis fotovoltaicos?

A quantidade de painéis varia de residência para residência e os custos de instalação e manutenção dependem de fatores como o tamanho e a complexibilidade da instalação.

Em uma simulação realizada pela revista Forbes, em 2021, os valores de instalação variaram entre 17 e 25 mil reais, para uma casa com jardim, dois dormitórios e três banheiros. Essa simulação contou com uma média de gastos de R$ 250 mensais com energia elétrica e apontou um desconto de R$ 25 após a instalação.

É importante ressaltar que, para realizar esse processo, é necessário o acompanhamento dos técnicos responsáveis pelo projeto, que farão os estudos e cálculos necessários para cada perfil.

Quais são as vantagens de ter energia solar residencial?

Menor dependência das oscilações energéticas

Com um sistema de geração de energia individual, os consumidores garantem mais economia. Não importa a cor da bandeira na conta. A economia estará sempre presente em seu dia a dia.

Possui uma geração de energia silenciosa

Diferente de outras fontes geradoras de energia, o sistema fotovoltaico não emite nenhum tipo de barulho. O conforto acústico é mantido enquanto a residência aproveita as vantagens do uso da energia solar.

É uma fonte de energia renovável

Uma fonte de energia renovável utiliza recursos naturais inesgotáveis, como a luz solar, para produzir eletricidade. E, além disso, produz um impacto mínimo ao meio ambiente.

É possível a instalação desses equipamentos em apartamentos

É possível solicitar ao condomínio a instalação de painéis solares em áreas como a cobertura do edifício ou no espaço térreo, desde que possuam uma área aberta para receber os raios solares. Outras opções são a instalação em espaços como a fachada ou uma varanda, para abastecer o apartamento, seguindo as especificações do projeto arquitetônico e as regras do condomínio. 

Nesse cenário, a energia solar por assinatura surge como solução para aqueles que procuram uma forma simples de aproveitar os benefícios da produção fotovoltaica, sem os custos e a burocracia da instalação e da manutenção das placas. 

E quais são as desvantagens de ter energia solar residencial?

Gastos com a compra e instalação das placas solares

Os custos de instalação das placas solares possuem valores elevados, o que pode ser um empecilho para muitas famílias. O alto investimento possui uma faixa mínima de 13 mil reais, como apontado pelo portal G1, e conta com um lento retorno financeiro. 

É necessário realizar manutenções periódicas nos equipamentos

As pessoas que optam pela utilização dos painéis solares, precisam seguir alguns cuidados adequados com as placas para evitar o acúmulo de sujeiras, assim como a realização da manutenção elétrica a cada seis meses. Atualmente, os custos com a manutenção até a necessidade de troca de aparelhos podem variar entre cerca de 600 e 2.500 reais.

Não gera energia durante a noite

Por não possuir raios solares no período noturno, as placas fotovoltaicas não conseguem gerar energia elétrica durante esse período.

Além disso, por possuir uma baixa capacidade de armazenamento, é difícil garantir uma reserva de energia muito grande para abastecer sua residência durante a noite, por isso ainda é necessário ser mantido o vínculo com a distribuidora de energia local. 

Energia solar residencial x Energia solar por assinatura: qual é melhor para você?

A instalação de placas solares demanda um grande investimento, o que torna o consumo por assinatura uma ótima alternativa para muitas famílias, já que não há gastos com obras ou instalações, além de democratizar o uso de energias limpas e renováveis. 

Com essa proposta, a empresa de produção fotovoltaica constrói fazendas solares, grandes espaços de terra com instalações de placas fotovoltaicas. 

Os benefícios da energia solar por assinatura

  1. Você não precisa comprar kits de placas solares
  2. Consequentemente, não é necessário investir em obras e instalações na sua casa
  3. Você se livra da manutenção periódica dos equipamentos
  4. Mesmo de noite, você terá energia garantida pela distribuidora
  5. É possível receber essa energia solar por assinatura em apartamentos
  6. Você utiliza e incentiva o uso de grandes geradores de energia renovável no país
  7. Você conta com o benefício dos créditos energéticos

Você pode assinar o plano que melhor se enquadra à sua faixa de gastos e a energia solar chega até a sua casa por meio das instalações da distribuidora de energia local que já abastece a residência, por isso não existem preocupações com obras ou custo de instalação.
E, como a geração solar é mais barata que a de outras fontes, os créditos energéticos gerados garantem a economia na conta.

Os créditos energéticos

O sistema de créditos energéticos foi criado em 2016, pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), que opera como distribuidora e regulamentadora do segmento.

Quando acontece a instalação de painéis solares, o vínculo com a distribuidora de energia local pode ser mantido, para o uso durante o período noturno ou em momentos de pouca luminosidade. 

Com a energia solar por assinatura, o vínculo também é mantido, pois é usada a mesma instalação da distribuidora de energia local para que a energia solar chegue até a residência. Nesses casos, a energia acumulada é injetada na rede elétrica e emprestada à distribuidora. Isso cria os chamados “créditos energéticos” e garante o desconto na sua conta de luz

Leia mais: O que é economia compartilhada e por que o modelo de energia solar por assinatura está crescendo no Brasil?

A energia solar por assinatura zera a conta de luz?

A energia solar por assinatura, assim como as instalações residenciais de painéis, não zera a sua conta de energia. Nesse caso, você ainda precisa pagar a taxa de disponibilidade para a distribuidora local, pois é por meio dessa instalação que a sua energia chega até sua residência. 

Com a energia solar residencial, o vínculo com a distribuidora local também permanece, devido à necessidade de uso dos serviços em períodos de baixa incidência solar ou durante a noite, isso mantém os custos com a conta de luz.

Como a minha instalação/assinatura pode fazer a diferença no planeta?

Dados coletados pela ABSOLAR mostram que a emissão de mais de 17,7 milhões de toneladas de CO2 foi evitada com o uso da energia solar. Trata-se de uma fonte que não necessita de combustíveis para geração, o que diminui possíveis impactos ambientais, além de  não contribuir com gases do efeito estufa. 

Cada residência que adere ao uso da energia solar faz parte desse processo, pensando na sustentabilidade, no consumo consciente de energia e optando por uma fonte limpa e renovável.

Agora que você já conhece as vantagens e desvantagens da energia solar residencial e da energia solar por assinatura, que tal experimentar na prática como é fazer a diferença no planeta e no seu bolso? 

A energia solar compartilhada está a um clique de distância e você pode fazer parte da mudança. Acesse nossa página e saiba como!

  • 2018

  • 2021

  • A nova bandeira tarifária: escassez hídrica

  • Agenda 2030

  • alternativa

  • ambiente escolar

  • aquecimento global

  • aquecimento solar

  • aspectos tecnológicos

  • assinatura de energia

Assinando com a Órigo você pode economizar até:

15% de economia mensal de energia limpa e renovável 15% de economia mensal de energia limpa e renovável

de economia mensal com energia limpa e renovável

Assine nossa
newsletter